Ouça nosso boletim

Seleção para federais volta no meio do ano.

Apesar das graves deficiências detectadas, está decidido que no meio do ano o Ministério da Educação vai aplicar em todo o País o Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que distribui as vagas de instituições superiores com base nas notas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). Mas haverá mudanças e a seleção será em uma etapa em vez de três, o que estava causando confusão. Cada aluno vai poder se inscrever no máximo em três opções diferentes de cursos. As mudanças e o calendário do Sisu foram definidos ontem em reunião de quatro horas entre o ministro da Educação, Fernando Haddad, e os reitores das federais. Os dois lados concordaram que o sistema atual, apesar de democrático, era fonte de problemas que ameaçavam o programa. Ele permitia, por exemplo, que se testasse opções desnecessárias, saturando o sistema.

Entre as mudanças, foi também aprovada a introdução de uma lista de espera, a valer já no próximo exame. Dela serão chamados sucessivamente os alunos inscritos para preencher as vagas em aberto. "O objetivo é superar todas as dificuldades, de modo a permitir que 100% das vagas sejam preenchidas", afirmou Alan Barbiero, presidente da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). O MEC acredita que a lista poderá acabar com o problema de vagas não preenchidas. Consolidação. O Sisu, segundo a secretária de Ensino Superior, Maria Paula Dallari Bucci, está consolidado como conceito, mas do ponto de vista operacional é um processo em construção que precisa ser aperfeiçoado. "A maior prova de seu êxito como política pública é que sua aceitação está mantida entre as instituições que já estavam e vem se ampliando entre as que ainda estão de fora", afirmou.

Pelo calendário elaborado, o processo do Sisu começa em abril, com a adesão das instituições. Em maio, serão abertas as inscrições de alunos. Em junho será fechada a lista de classificação dos estudantes inscritos, com base na qual serão chamados os selecionados para matrícula. Paralelamente será montada uma lista de espera para preenchimento das vagas restantes, conforme a segunda e terceira opção de cada aluno. Paralelamente, o Inep fechará, também em junho, o calendário do segundo semestre. O Sisu será colocado à disposição das universidades estaduais, cujos reitores terão uma reunião em separado hoje no MEC. Maria Paula está esperançosa de que, nesse novo formato, o sistema finalmente deslanche e que, até o fim do ano, todas as 51 instituições federais de ensino tenham aderido. "A consulta do MEC serviu para demonstrar o grande interesse dos reitores e seu compromisso de estimular o programa, que aumenta a inclusão e a democratização do acesso ao ensino superior."


Fonte: O Estado de São Paulo

	Array
(
    [0] => No page with id root
)