Ouça nosso boletim

Boletim SINEPE/NOPR – 7 de dezembro de 2017.

Boletim SINEPE/NOPR – 7 de dezembro de 2017.

MEC mistura gênero com religião na BNCC

O Ministério da Educação do governo Michel Temer excluiu menções ao combate à discriminação de gênero da nova versão da Base Nacional Comum Curricular. A pasta incluiu esse tema na parte de ensino religioso, para que se discuta nas escolas concepções de "gênero e sexualidade" de acordo com as tradições religiosas. Educadores criticam a medida. A BNCC passa agora por uma análise final do Conselho Nacional de Educação (CNE) que se reúne nesta quinta-feira.

 

Alterações feitas na surdina

O MEC já havia retirado, sem alarde, três menções ao respeito à identidade de "gênero" e "orientação sexual" da terceira versão da base. Agora, a Folha de S.Paulo identificou ao menos dez trechos suprimidos pela equipe do ministro Mendonça Filho (DEM-PE). Já na introdução, um texto que elencava as dez competências gerais da base indicava que as escolas deveriam valorizar a diversidade, "sem preconceitos de origem, etnia, gênero, idade, habilidade/necessidade, convicção religiosa". Na nova versão, só se fala em "preconceitos de qualquer natureza".

 

Visões conservadores prevalecem

Para Andréa Gouveia, presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, a atitude fere um compromisso da escola com a tolerância. "Não nomear aquilo que são as desigualdades e preconceitos reforça visões conservadoras de que os preconceitos não existem", afirma. A abordagem de temas sobre identidade de gênero pode, segundo estudiosos, influenciar na discussão de problemas sociais como violência contra a mulher, gravidez na adolescência e homofobia.

 

“Ideologia de gênero” nunca existiu na base

Priscila Cruz, do Movimento Todos Pela Educação, diz que as ausências comprometem a existência de um currículo de qualidade. "Não é o caso de rechear a base com a questão de gênero, mas essa é uma questão contemporânea, por isso importante." Grupos religiosos e conservadores têm se mobilizado contra o que chamam pejorativamente de "ideologia de gênero" na base –termo que nunca esteve presente. A pressão também foi exercida por parlamentares da bancada evangélica, que integra a base do governo no Congresso. Eles afirmam que a discussão poderia destruir a identidade dos jovens.

 

Tradições religiosas

As menções apagadas pelo ministério atingiram as áreas de ciências humanas, artes e educação física. Mas a discussão de "concepções de gênero e sexualidade, segundo diferentes tradições religiosas" foi parar como proposta de currículo do 9º ano na parte de ensino religioso. A previsão de conteúdos de ensino religioso havia sido retirada da base na terceira versão, por ser área de ensino optativo, segundo a legislação. Mas, com a nova revisão, esse bloco não só voltou como se tornou uma área de conhecimento, com mesmo status de matemática ou linguagens. (UOL)


Estácio demite 1,2 professores

A Estácio comunicou a demissão de 1.200 dos seus 10.000 professores nesta terça-feira. Segundo a empresa, novos profissionais serão contratados sob o novo modelo trabalhista, em regime CLT. A Estácio começa a se enquadrar principalmente na mudança que prevê que as empresas criem um banco de funcionários que podem ser acionados conforme a demanda, com pagamento proporcional ao tempo dedicado. (UOL)

 

Projeto do Conseg conquista Prêmio Innovare

O projeto ‘Visão de Liberdade’, realizado na Penitenciária Estadual de Maringá (PEM) e na Colônia Penal Industrial de Maringá e administrado pelo Conselho Comunitário de Segurança de Maringá (Conseg) com apoio de órgãos e entidades, é o vencedor da 14ª edição do Prêmio Innovare 2017, na categoria Justiça e Cidadania. O prêmio foi recebido na manhã desta terça-feira (5) pelo presidente da entidade, Antonio Tadeu Rodrigues, em cerimônia realizada no Supremo Tribunal Federal, em Brasília.

 

Ressocialização dos detentos

O presidente do Conseg, coronel Antonio Tadeu Rodrigues, diz que além de favorecer os alunos com deficiência visual por receberem material didático apropriado, o projeto é uma importante ação de recuperação e ressocialização dos detentos. Desde 2004, detentos confeccionam livros digitados para impressão em braille, livros falados, materiais em relevo, maquetes e jogos adaptados, entre outros materiais que são encaminhados para os alunos cegos de escolas públicas.

 

Produção vai para todo Paraná

O material é distribuído em 127 municípios do Paraná atendidos pelo Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAP). Até este ano já foram produzidos pelos detentos custodiados na penitenciária mais de 84 mil materiais didáticos em relevo, 453 livros e 54 apostilas digitados, 126 livros falados e 12 apostilas. Além dos municípios atendidos pelo CAP, o projeto envia materiais para todo o Brasil, inclusive para uma biblioteca pública da cidade de Sobreda, em Portugal.

 

Gestão Escolar 2017

A entrega do Prêmio Gestão Escolar 2017, promovido pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ocorreu nesta segunda-feira, 4, em Bonito (MS). A vencedora foi a Escola de Ensino Fundamental Mont Alverne, de Ituporanga (SC), com um projeto de gestão pedagógica participativa, que envolve pais e comunidade no planejamento das ações da escola.

 

Liberado cartão de acesso do Enem

O Inep liberou nesta terça-feira, 5, o acesso ao cartão de confirmação da inscrição dos participantes do Enem 2017 com direito à segunda aplicação, marcada para 12 e 13 de dezembro. O Inep aguarda 3.606 inscritos, que prestarão os exames em 34 locais de provas de 27 municípios. Este ano, o Enem PPL teve 31.765 inscrições e será aplicado em 1.078 unidades prisionais de 577 municípios. O grau de dificuldade da prova é equivalente ao do Enem regular, realizado em 5 e 12 de novembro. Clique aqui para acessar as informações referentes à reaplicação das provas. (MEC/Inep)

 

Prêmio Capes de Tese

Será realizada hoje em Brasília a cerimônia de entrega do Prêmio Capes de Tese 2017, outorgado às melhores teses de doutorado defendidas no Brasil em 2016, em 48 áreas de conhecimento. Também será outorgado o Grande Prêmio para a melhor tese selecionada entre as vencedoras do Prêmio Capes de Tese, reunidas em três grupos de grandes áreas. Em cada ano, um cientista, cuja pesquisa se tenha enquadrado no conjunto em que a premiação é concedida, é homenageado em cada uma das grandes áreas.

 

Premiados

 Em 2017, serão homenageados Vital Brazil, na grande área ciências biológicas, ciências da saúde e ciências agrárias; Casimiro Montenegro Filho, nas engenharias, ciências exatas e da terra e multidisciplinar (materiais e biotecnologia); e Aurélio Buarque de Holanda, nas ciências humanas, linguística, letras e artes e ciências sociais aplicadas e multidisciplinar (ensino). Confira o resultado do Prêmio Capes de Teses 2017.Conheça as teses vencedoras. Conheça o Prêmio Capes de Tese 2017. (MEC/Capes)

 Maringá, 07 de dezembro de 2017.

 

 

Assessoria de imprensa SINEPE/NOPR

	Array
(
    [0] => No page with id root
)