Ouça nosso boletim

Boletim SINEPE/NOPR – 15 de setembro de 2016

Boletim SINEPE/NOPR – 15 de setembro de 2016


Ensino em inglês

Um mapeamento inédito identificou 671 cursos com aulas no idioma inglês em instituições de ensino superior brasileiras. O levantamento foi encomendado pelo British Council e pela Faubai (Associação Brasileira de Educação Internacional) e realizado por uma equipe liderada pelo professor Carlos Vergani, da Unesp. Foram enviados questionários a 270 instituições entre as mais internacionalizadas. Dessas, 90 Responderam.

Alunos estrangeiros

O resultado é um guia de cursos ofertados no idioma no Brasil que será lançado nesta semana com o objetivo de divulgar a possibilidade de estudar no país para atrair mais alunos estrangeiros. Segundo as estatísticas mais recentes da Unesco, de 2013, 0,2% dos universitários no Brasil vieram do exterior. No Reino Unido, país exemplo da internacionalização, o índice é de 17,5%. O guia mostra que a maior oferta de aulas em inglês no Brasil é em cursos de curta duração (62%). Na graduação, foram encontradas 201 disciplinas e um curso todo na língua – o de administração de empresas da FGV (Fundação Getulio Vargas).

Mapeamento

Foram mapeadas 45 disciplinas e seis programas inteiramente no idioma. A presença real do ensino em inglês nas universidades, no entanto, é maior do que a retratada pelo novo guia, feito por amostragem. Segundo o professor Raul Machado Neto, presidente da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional, a universidade tem 31 disciplinas de graduação em inglês e 400 de mestrado e doutorado também no idioma (20% do total da pós; a meta da direção da USP é chegar a 30% no ano que vem).

Inserção internacional

Aumentar a inserção internacional é fundamental para universidades brasileiras melhorarem suas posições em rankings internacionais, lembra Claudio Anjos, diretor de Educação do British Council. O item é um dos critérios de pontuação adotados pelos dois principais –QS e Times Higher Education. Na mais recente divulgação do QS, em setembro, a instituição do país com a melhor colocação foi a USP, no 120º lugar do mundo. Dentro do Brasil, a UFABC (Universidade Federal do ABC) é a que obteve o melhor desempenho em internacionalização, segundo o RUF (Ranking Universitário Folha). A universidade tem 103 disciplinas em inglês. Segundo o reitor Klaus Capelle, o foco é capacitar o aluno brasileiro para ir a eventos internacionais e ler literatura estrangeira, entre outras competências. Um dos que dá aulas em inglês ali é o docente de física Marcos Ávila. Ele começou em 2015, por iniciativa própria, mas não proíbe os alunos de responder provas ou fazer perguntas em português. "O que eu avalio é o domínio de física, não de inglês", diz. Coordenador de graduação da FGV, Nelson Barth também afirma que o objetivo não é ensinar o idioma –por isso, só os alunos que já dominam o inglês podem optar pelo curso. Mas, se algum deles deixar escapar uma palavra em português, vai ficar sem resposta. "Os professores fingem que não entendem", diz.

Ideb no Paraná

Alunos de 61% dos municípios do PR entram despreparados no ensino médio A qualidade dos últimos anos do ensino fundamental no Paraná na rede pública deixa a desejar. Isto é o que aponta o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para esta fase do ensino. Dos 399 municípios, apenas 141 deles alcançaram ou superaram a média nacional, 35,3% do total. Do restante, 245 (61,4%), apresentaram notas abaixo desse patamar – sendo que 13 ficaram sem avaliação.

Ilhas de excelência

No Paraná, o Ideb que inclui a educação privada para esta etapa foi de 4,6. Consideradas separadamente no Estado, a rede pública ficou com Ideb de 4,3 e, a privada, de 6,5. Em miúdos, isso significa que, com exceção de escolas que são verdadeiras ilhas de excelência nos anos finais do ensino fundamental – como é o caso do Colégio Militar de Curitiba (Ideb 7,7) ou do Colégio Estadual Castro Alves, em Quedas do Iguaçu (Ideb 6,6) –, grande parte dos alunos da rede pública no estado chega ao ensino médio sem saber conteúdos que já deviam ter sido superados nas etapas anteriores.

Resultados

Na prova de matemática da Prova Brasil para o 9.º ano, a nota média nacional foi de 257,73 e, nas escolas públicas no Paraná, de 254,81. Um aluno com esse resultado na avaliação, de acordo com o site “Devolutivas Pedagógicas” do Inep, ainda não é capaz de associar dados apresentados em uma tabela simples a um gráfico de linhas ou determinar a quantidade de cubos que estão dispostos em forma de bloco retangular. Já no exame de português da Prova Brasil, a média nacional foi de 253,50 e de 250,24 nas escolas públicas paranaenses. Estudantes que não ultrapassam essa nota não conseguem reconhecer um argumento em um artigo de opinião em jornais ou explicar a causa de efeito de humor em um poema, por exemplo.

Verbas para instituições federais

O Ministério da Educação liberou R$ 368 milhões às instituições federais de ensino vinculadas à pasta. Com essa liberação, desde 13 de maio, o MEC totalizou mais de R$ 3,1 bilhões destinados às instituições federais, incluindo ainda repasses ao Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), ao Instituto Benjamin Constant (IBC) e à Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) – as três receberam R$ 1,56 milhão nesta última liberação.

Assembleia da Fenep

No dia 21, haverá Assembleia Geral do Conselho de Representantes da Fenep, em Brasília. Em pauta, Relatoria da Câmara de Educação Básica; fala de Mariana Braga, da Unesco, sobre Gênero, sexualidade e inclusão; Jogos de palavras cruzadas com temas educacionais - Apresentação de José Hevaldo Rabello Mendes Júnior; Relatoria da Câmara de Educação Superior (audiência com o Senador Pedro Chaves; Audiência com a Secretária Executiva do MEC, Maria Helena e equipe; ofício e notificação extrajudicial ao FNDE relativo à emissão das guias pelo programa FIES; PLN 08/2016 que versa sobre o Crédito suplementar para os aditamentos dos contratos do FIES; MP 741/2016 - que transfere o custo de 2% da taxa administrativa às IES; PL que obriga as IES a devolver quantias aos alunos devido à mudança das regras do FIES em 2015; Portaria 1008 de 2 de setembro/2016 que aprova o regimento  interno da CTAA: Restabelecimento do direito de participar e ter voz nos julgamentos das impugnações no âmbito da CTAA; Retomada das reuniões mensais com o Ministro da Educação e a Secretária Executiva sobre a Agenda Positiva e Congresso do Fórum IX CBESP de 25 a 27/05/17 – Gramado/RS, entre outros.

Revalida

O Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Estrangeiras (Revalida) foi realizado no último domingo com número expressivo de candidatos: mais de 6,5 mil. A quantidade de inscritos é a maior dos últimos cinco anos. Essa é a primeira etapa do exame, criado para facilitar o processo de revalidação de diplomas estrangeiros, o que permite que profissionais formados no exterior atuem como médicos no Brasil.

Nota mínima

Serão aprovados os candidatos que alcançarem, no mínimo, 77 dos 150 pontos correspondentes à soma das provas objetivas e discursivas. A divulgação dos resultados está prevista para o dia 14 de outubro. Nesta etapa, as provas foram aplicadas em dez capitais brasileiras. Os países que apresentaram o maior número de inscritos, por nacionalidade, foram Brasil, Cuba, Bolívia, Colômbia, Peru, Venezuela e Argentina. Quanto à origem do diploma, a Bolívia liderou com 44,97% dos inscritos. 

 

Maringá, 15 de setembro de 2016.

 

Assessoria de imprensa SINEPE/NOPR

	Array
(
    [0] => No page with id root
)