Ouça nosso boletim

Boletim do SINEPE/NOPR – 01 de junho de 2017.

Boletim do SINEPE/NOPR – 01 de junho de 2017.

Mais de 7 milhões no Enem

A edição de 2017 do Enem registrou um total de 7.603.290 inscritos. Deste número, 6.135.418 de inscrições estão confirmadas, quantia que pode aumentar, uma vez que o prazo para recurso dos candidatos que não conseguiram a isenção da taxa se estende até o dia 25 de junho. As provas serão aplicadas em dois finais de semana consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro.

 

Sem certificação, menos alunos

Nesta edição do Enem, o exame deixa de certificar para o ensino médio, função que retorna ao Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). De acordo com o Inep, 11% dos que fizeram o Enem em 2016 buscava esta certificação.

 

Inclusão

Foram registrados este ano 52.270 inscritos que solicitaram atendimento especializado (que inclui pessoas com deficiência), sendo 8.716 para atendimento específico, por exemplo, para grávidas e idosos. Com o fim das provas aos sábados, não haverá mais horário diferenciado para os sabatistas. Em 2016, esse grupo representou 76.275 pessoas.

 

Recursos especiais

O novo recurso de vídeo-prova traduzido em língua brasileira de sinais (Libras) será oferecido para 1.897 participantes. Já o de tradutor-intérprete de línguas, outra opção para os deficientes auditivos e surdos alfabetizados em Libras, teve 1.489 solicitações.

 

Perfil

Comparado ao ano passado, houve um aumento no número de candidatos concluintes do ensino médio. Enquanto naquele ano o percentual foi de 20,4%, este ano saltou para 31,9%. A maioria dos inscritos nesta edição do exame (59%) já finalizou os estudos e o percentual dos que vão concluir depois de 2017, os chamados treineiros, é de 7,8%. As mulheres seguem como maioria (58,6%) no número de inscrições. Já em relação à cor/raça, 46,5% se autodeclararam pardos, 35,9% brancos e 12,8% pretos. Os indígenas representam 0,6% dos participantes.

 

Participação por estado

Em relação aos estados, São Paulo lidera com o maior número de candidatos confirmados (1.045.445) e Minas Gerais vem em segundo, com 660.797. Outros estados que se destacam em número de inscrições são: Bahia (425.562), Rio de Janeiro (407.221), Pernambuco (343.345), Ceará (341.393) e Pará (321.367). O Sudeste responde por 36% das inscrições confirmadas. O Nordeste tem 33%; o Norte, 12%; o Sul, 11% e o Centro-oeste, 8%.

 No Sisu, quase 800 mil inscritos

Até às 19 horas de ontem, a segunda edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) de 2017 registrou 792.366 inscritos. Já o número de inscrições chegou a 1.518.750, uma vez que cada candidato pode fazer até duas opções de curso. As inscrições seguem abertas até esta quinta-feira, 1º.

 

Resultado

São ofertadas 51.913 vagas por 63 instituições, entre universidades federais, estaduais e institutos federais. A divulgação do resultado do Sisu, em chamada única, está prevista para 5 de junho, mesma data em que será aberta a lista de espera. As matrículas devem ser efetuadas entre os dias 9 e 13 do mesmo mês.

Inovação para a Educação

O MEC e o Centro de Inovação para a Educação Brasileira (Cieb) assinaram, anteontem, um termo de cooperação técnica por meio do qual o Cieb poderá contribuir na elaboração de políticas de tecnologia e inovação que permitam impactar na qualidade e na equidade da educação pública brasileira. O termo envolve a criação de um portal integrado que está sendo desenvolvido pelo MEC.

 

Articulação

A diretora-presidente do Cieb, Lucia Dellagnelo, explica que o termo de cooperação busca envolver pesquisadores, professores e empreendedores que desenvolvem tecnologias para a área de educação e o poder público em todas as suas esferas. A meta é trazer a inovação para a educação brasileira. O Cieb, que é uma organização sem fins lucrativos, faz a articulação entre organizações da entidade civil e o poder público.

Brasileira em Oxford

Aos 24 anos e com um currículo formado em instituições públicas, a engenheira mecânica Bárbara Emanuella Souza é a primeira mulher brasileira aceita no doutorado da escola de engenharia de Oxford, universidade do Reino Unido. A notícia chegou a ela poucos meses após a conclusão do curso de engenharia na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), em Diamantina (MG), que ocorreu no início deste ano.

 

Metais orgânicos

Bárbara deve fazer pesquisas sobre redes de metais orgânicos e suas associações, com o intuito de criar novas e melhores formas de tratamento contra o câncer. “A quimioterapia, quando administrada afeta todo o organismo do paciente e não só a região doente. Se conseguir desenvolver nano partículas que façam o carregamento do fármaco diretamente para a região doente do corpo, essa liberação controlada significará não apenas a diminuição dos efeitos colaterais, mas também o aumento da eficácia das drogas”, explicou.

 

Brasileira na Nasa

A estudante Noemi Vergopolan Rocha, 26, saiu de Curitiba, onde morava com os pais, há quatro anos. Ela pisou pela primeira vez nos Estados Unidos para fazer um intercâmbio que, em seguida, a levaria a um estágio na Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), na Califórnia. Há dez dias, ela participou de um evento na ONU (Organização das Nações Unidas), em Nova York.

 

Trajetória

Noemi conta que sempre se destacou entre os alunos da Escola Municipal Coronel Durival de Britto, no Paraná, onde cursou o ensino fundamental, cursou engenharia ambiental na UFPR e carimbou seu passaporte pela primeira vez para aprofundar seus estudos em recursos hídricos na Universidade Estadual da Carolina do Norte, nos EUA.

Iniciativa e confiança

Foi no último ano acadêmico em território americano que os seus conhecimentos fizeram com que a curitibana conquistasse uma vaga de estágio na Nasa, na área de monitoramento do impacto do desmatamento na Amazônia. "Entrei em contato com uma pesquisadora brasileira de lá, Roseli Lopes, e disse que tinha interesse em desenvolver meu TCC na Nasa e que era boa no que fazia, que eles não iam se arrepender de me contratar", contou. (UOL)

Reajuste zero na USP

O Conselho Universitário da Universidade de São Paulo (CO), instância máxima da instituição, aprovou esta semana proposta de reajuste zero para os servidores neste ano e um novo Plano de Incentivo à Redução de Jornada (Pirj). A medida segue a decisão do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp), que responde também pela Unesp e Unicamp.

 

Redução de jornada

O CO também aprovou programa para redução de jornada de 40 para 30 horas semanais de trabalho, com redução proporcional dos vencimentos dos servidores. A adesão, segundo a instituição, é voluntária.

 

 Maringá, 01 de Junho  de  2017.

 

 

Assessoria de imprensa SINEPE/NOPR.

	Array
(
    [0] => No page with id root
)